sexta-feira, 15 de outubro de 2010

"A potência da mais simples palavra sobre o mais vasto dos pensamentos"

Sem tempo para mais, aqui fica outro excerto:

«O homem parecia ter desapontadamente perdido o sentido do que queria anotar. E hesitava, mordia a ponta do lápis como um lavrador embaraçado por ter que transformar o crescimento do trigo em algarismos. De novo revirou o lápis, duvidava e de novo duvidava, com um respeito inesperado pela palavra escrita. Parecia-lhe que aquilo que lançasse no papel ficaria definitivo, ele não teve o desplante de rabiscar a primeira palavra. Tinha a impressão defensiva de que, mal escrevesse a primeira, e seria tarde demais. Tão desleal era a potência da mais simples palavra sobre o mais vasto dos pensamentos. Na realidade o pensamento daquele homem era apenas vasto, o que não o tornava muito utilizável. No entanto parece que ele sentia uma curiosa repulsa em concretizá-lo, e até um pouco ofendido como se lhe fizessem proposta dúbia.»

Clarice Lispector, A Maçã no Escuro

4 comentários:

Joana disse...

Só assim me sinto livre :')
Tanto a Literatura como a música, conseguem apagar muitos dos limites e pressões, que tantas vezes nos prendem! É quase como um refúgio pensar desta forma.
(E gostei imenso deste excerto!)

Joana disse...

Sim, sim ! :D
A professora Rosa Cruz! Ela falou-me de ti ;)

Joana disse...

Claro que sim. Pelo que ela disse somos muito parecidas! E sim, ela também é a melhor professora que alguma vez tive :o
E bem... em que curso estás? :D
Era precisamente essa a saída que tenho andado a ponderar... ensino!
No 11ºano, sou pequenina ainda :p

Joana disse...

Parece que sim...
Andava a tentar entender qual o curso ideal para ensino. Mas não chegava a nenhum em especifico. E obrigada, quando as dúvidas surgirem, vou perguntar! :D