quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Desta geração.


Já era para ter escrito sobre este assunto anteriormente mas surge agora, tarde mas ainda a tempo. Parece que ultimamente a discussão acerca do empenho dos alunos nos exames nacionais e do seu aproveitamento nos mesmos tem vindo a ganhar mais impacto na blogosfera.

Os resultados dos exames nacionais não foram bons, é verdade. No entanto, acho lamentável que algumas pessoas tratem esta geração como se fossem todos uns incompetentes que esperam sempre facilitismos de toda a parte. Se calhar o problema é meu: por nunca ter apreciado muito generalizações, essencialmente aquelas que se baseiam em críticas que de construtivas pouco têm.

Isto não é um texto de defesa de uma parte contra outra porque, como em todo o lado, há os que se esforçam e há os que não o fazem, há os que conseguem bons resultados e há os que não o conseguem. Só gostava é que se fizessem críticas justas e justificadas sobre o assunto que é coisa que muitas vezes não se vê por aí (às vezes ter consideração pelas pessoas não é mal pensado).

Posto isto, gostava apenas de saber se já pensaram em responder às questões dos exames nacionais (mas responder com a mesma pressão inerente a um aluno quando o faz) e depois corrigi-los com base nos critérios que lhes são aplicados.

12 comentários:

Ana Torrado disse...

As pessoas deveriam fundamentar o que dizem e não apenas generalizar. Compreendo o teu ponto de vista. Mas só quem passa pelas coisas é que sabe o quanto custa.

S* disse...

Falo por mim... safei-me muito melhor nos exames nacionais do que nos testes durante o ano. Não achei difícil, para quem é minimamente atento e se prepara.

Patrícia disse...

S*, eu também me safei melhor nos exames no geral. Dos quatro que fiz no secundário, em três tirei melhor nota do que durante o ano.

Só acho que algumas pessoas nem criticar sabem e acabam por exagerar na forma como definem os alunos de hoje.

Alexlisboa disse...

Às vezes sabe bem mudar um bocadinho (:

vânia disse...

não, já lá fui e não tem.

Mariana F. disse...

concordo contigo. existem montes de pessoas que esforçam, outras que não. e depois há quem se esforce e ainda assim não tenha o resultado esperado. e as pessoas generalizam muito...

Rita Super-Mulher disse...

Nisto dos exames nacionais há sempre generalizações. Mas acho que já nem quero me pronunciar sobre isto. Todos os anos é a mesma coisa :/

Semprábrir disse...

Se ainda fosse necessário provar que a generalização é injusta, bastaria ler este texto. No entanto, tu própria pareces ser o exemplo de que muitos dos maus resultados se devem ao pouco empenho dos alunos que os obtêm.
Um exame introduz sempre uma componente psicológica muito forte no resultado. Nem todas as más notas são culpa de maus alunos. Mas pareces ser uma pessoa sensata o suficiente para repudiares certas atitudes, como a dos putos que parecem passar o ano na disputa pelo pior resultado.
- Ah e tal eu tive 3 negas.
- Grande avaria: eu tive 4.
Acho uma grande estupidez elevarem tanto a fasquia. Porquê ensino obrigatório até ao 12º? Ou mesmo até ao 9º?...
Onde é que estão os cursos profissionais a sério, não é esta brincadeira de cursinhos da treta onde vão parar todos os subsídio-dependentes. Cursos com equivalência à licenciatura, mas com uma forte componente prática, direccionados para profissões onde faltam trabalhadores qualificados.
Estaríamos aqui o resto da noite a apresentar soluções ou hipóteses, mas não temos poder de decisão. Será que os responsáveis pelo ensino não conseguem ver o mesmo que a maior parte das pessoas vêem?

Patrícia disse...

Semprábrir, não percebi a parte em que dizes que eu pareço ser o exemplo de que os maus resultados se devem ao pouco empenho dos alunos. Então por quê?

Semprábrir disse...

muitos dos maus resultados se devem ao pouco empenho dos alunos que os obtêm.
É um pouco diferente de os maus resultados se devem ao pouco empenho dos alunos

Pelo que li no texto e nos comentários, não me pareces um exemplo de mau aproveitamento.
Conheço imensos jovens na mesma situação.
Como disse, um exame tem sempre um efeito psicológico, mas isso não explica tudo. E a prova é que há quem apresente bons resultados.
Basicamente era isto que pretendia transmitir. Peço desculpa se me "enrolei" um bocado. loool

Claudia disse...

É sempre muito fácil generalizar e dizer que estamos perdidos...

Corina de Oliveira disse...

Ja fiz os meus exames há 6/7 anos e era a mesma coisa na altura. enfim...


Bom fim-de-semana *