terça-feira, 9 de agosto de 2011

A eterna discussão: universidade pública ou privada.

Não pretendo com este texto fazer qualquer juízo de valor sobre as pessoas, não somos todos iguais (e ainda bem), nem tão pouco procurar verdades absolutas. Isto não passa de uma opinião e vou esforçar-me por expô-la da forma mais clara possível.

Sempre assistimos a esta discussão: quais as melhores universidades: as públicas ou as privadas? Já ouvi muitas pessoas dizerem que o ensino nas públicas é sempre melhor e -daqui infira-se - também mais exigente. Já ouvi o contrário! A meu ver, as públicas têm um ensino melhor no entanto há excepções como em qualquer outra questão. Com isto não quero dizer que nas privadas seja mau, estamos a falar em termos gerais e comparativos.

As médias nas públicas normalmente são mais altas (e além disso 'dizem' que um 16 na pública equivale a um 13 na privada - quanto a isto não sei, não estou lá para comparar o grau de exigência dos meios pelos quais os alunos são avaliados e fazer uma asserção tão exacta).
Contudo, normalmente os alunos nas públicas esforçam-se mais... têm mais hábitos de estudo ou simplesmente maior predisposição para conseguir melhores resultados (sim, acontece, não é só fruto do trabalho! além disso já vi muito boa gente bastante aplicada que não conseguia grandes resultados mas isso há em todo o lado).

Muitas vezes quem defende a ensino universitário privado como sendo melhor, apresenta por exemplo esta razão para o justificar: um aluno esforça-se por passar com boas notas porque por cada reprovação é mais dinheiro 'a sair da bolsa'. Ora bem, primeiro, esforçar-se para não ter de pagar mais não deveria ser usado como incentivo. Quanto a mim, primeiro pensava-se naquilo que é o nosso objectivo quando entramos na faculdade: concluir o curso porque queremos um dia ter emprego na área que desejamos, é esse o nosso incentivo: a formação. Afinal de contas é para isso que se lá está! Poupar uns euritos, neste tempo de crise, viria por acréscimo.

Ainda assim... conheço n de casos em que isso não acontece. Há muitos alunos que não se preocupam com o dinheiro a mais que se gasta por cada cadeira a que se reprova. Há quem nem metade das cadeiras faça e ande mais 2 ou 3 anos para concluir uma licenciatura.

Quem vai para as privadas? Quem não consegue entrar na pública e quem tem dinheiro para as pagar. Nada contra, conheço muitas pessoas a frequentar diversas faculdades privadas e se tivesse de ser (e eu pudesse!) também iria para uma. Mas só se não conseguisse entrar no ensino público. E se alguém me quiser contrariar e afirmar que foi ou conhece alguém que tenha ido para uma privada só porque preferiu - tendo média para ingressar na pública - força. Eu não conheço ninguém.

8 comentários:

Carla disse...

É mesmo cruel. :(

Quanto a esse duelo de titãs eu acho que há de tudo nas duas. Há cadeiras que são mais fáceis nas públicas e outras nas privadas e vice.versa. Não acredito é o curso seja dado de "mão beijada" mesmo quando se paga, talvez haja facilidades, não estou lá para ver. Cada um "safa-se" como pode e por isso não condeno quem vai para a privadas, mesmo que seja por opção e não porque não entrou numa pública, apesar de agora ser bastante difícil considerar essa hipótese. :)
Há esforço, empenho e trabalho, seja em que faculdade for e isso é que é importante para depois passarmos á vida activa. :)

Ana Torrado disse...

Eu entrei em Setembro para a Universidade Católica Portuguesa em Engenharia Biomédica, mesmo antes de saber os resultados da pública. Pensei que não entrasse na pública neste curso e na universidade em que queria.

Acabei por entrar na Universidade de Ciências de Lisboa (uma universidade pública). Cheguei mesmo a fazer a inscrição e a conhecer o meu "novo" e suposto horário.

Todavia como já me estava a adaptar à Católica, já lá estava à uns 15 dias (dado que as aulas começam mesmo no princípio de Setembro), acabei por ficar lá. Acabei, portanto, por ficar numa Universidade Privada, tendo entrado numa univerdade pública.

Enfim, são escolhas! Talvez a minha não tenha sido a melhor!

Catarina disse...

Concordo com tudo aquilo que disseste, mesmo. Até porque, possivelmente, eu teria bolsa para entrar numa universidade privada, relativamente perto de casa, mas preferi parar um ano, de modo a subir notas e angariar "fundos" para entrar numa pública, que por sua vez fica a muitos mais quilómetros de distância. Não sei se é uma ideia ou estereótipo que tenho, mas parece que o ensino privado faz com que aquela história e ambiente envolventes à faculdade, de que desde cedo ouvimos falar, se perca nestes casos. Talvez sejam manias ou parvoíces minhas, mas é assim que vejo o assunto deste teu post. (:

P.s.- Olha que também tu escreves muito bem. A prova disso é o facto do tamanho deste texto não me ter assustado nem um bocadinho :b

Mariana disse...

Concordo contigo! Sou da mesma opinião e também não conheço ninguém que foi para as privadas por opção porém podem e provavelmente existem.

:)

Miss Complicações disse...

Olá Patrícia desculpa discordar mas não vai para a privada quem não consegue entrar na privada. Fiz a minha formação na pública mas se pudesse não pensava duas vezes antes de ir para uma Católica para onde não fui não só por não ter posses como também pq a média era elevada. Se vivesse em Lisboa na casa dos meus pais com toda a certeza que tentaria a privada. Porquê? Por que é um nome com peso no mundo do trabalho. Assim como se fosse para eng. tentaria o técnico ou a Nova. :)
Já agora formei-me num politécnico do interior do país e passei à frente dos meus colegas da Católica :) Nem tudo é linear

MissGummyBear disse...

Comigo, e apesar de tudo, públicas sempre :)

Daniela Pereira disse...

well, para mim acho que são ambas boas. Mas sempre tive o pensamento de quem entra nas privadas é quem não tem media para as publicas... até que me deparo na época de procura de universidades para me candidatar e vejo imensas privadas com o meu curso e outras com curso ainda mais especifico que não existe nas publicas, cheguei a ter vontade imensa de ir para uma privada, mas olha vou me contentar com as publicas porque não sou rica e as propinas da publica já custam quanto mais as da privada...

Claudia disse...

Eu nunca conheci o ensino privado enquanto aluna. Já ponderei frequentar, mas atendendo aos custos nunca pude avançar. Sei bem os defeitos que as universidades públicas têm porque lá estudei e também trabalho numa. Agora quanto à qualidade de ensino... Não sei se as privadas serão tão melhores.

By the way, estou a gostar muito do teu blog, espero que continues a escrever, já estou a seguir! ;)